01 novembro 2011

Projeto prevê disponibilização de 600 bikes no Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio, em conjunto com a empresa concessionária Serttel e em parceria com o Banco Itaú, iniciou na última sexta-feira (28), o programa Bike Rio. Até 13 de dezembro serão instaladas 60 estações de aluguel de bicicleta em 14 bairros da cidade. Para marcar o início do programa, foram entregues 11 estações em Copacabana: Posto Seis, Sá Ferreira, Miguel Lemos, Cantagalo, Santa Clara, Dias da Rocha, Serzedelo Correia, Siqueira Campos, Copacabana Palace, Cardeal Arcoverde e Princesa Isabel.

O projeto foi idealizado pelo apresentador Luciano Huck, que participou de seu lançamento ao lado do prefeito da cidade, Eduardo Paes. Ele contou que a ideia surgiu no ano passado, após uma viagem para a Europa. "Quando retornei, liguei para o prefeito e falei: 'temos que fazer um projeto igual a esse aqui no Rio'. Como tenho uma relação com o pessoal do Itaú, liguei para eles falando sobre o projeto. Moro nessa cidade há 11 anos, e tenho visto in loco que de fato a bicicleta é um meio de transporte."

Para Angelo Leite, presidente da Serttel, valorizar a bicicleta como meio de transporte sustentável é o principal objetivo do projeto Bike Rio, contribuindo para a redução dos engarrafamentos nas áreas centrais das cidades e para a integração com outros meios de transporte. "Vale destacar também que a bicicleta foi eleita pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o transporte ecologicamente mais sustentável do planeta e o seu uso no dia a dia colabora para a diminuição da poluição nos grandes centros urbanos”, afirma.

A partir de dezembro, 600 bicicletas estarão disponíveis em pontos estratégicos nos bairros de Botafogo, Catete, Centro, Copacabana, Cosme Velho, Flamengo, Gávea, Humaitá, Ipanema, Jardim Botânico, Lagoa, Laranjeiras, Leblon e Urca. Alimentadas por energia solar, as estações e as bikes estarão à disposição dos usuários todos os dias da semana, das 6h às 22h. Para usar o sistema compartilhado, é preciso se cadastrar no site e adquirir o passe Samba, podendo optar pela mensalidade de R$10,00 ou pela diária de R$5,00, sem a necessidade de pagar qualquer valor adicional. Também é necessário se atentar às seguintes regras: a bicicleta pode ser usada por 60 minutos ininterruptos e quantas vezes por dia o usuário desejar desde que, após os 60 minutos, estacione a bicicleta em qualquer uma das 60 estações por um intervalo de 15 minutos.

As estações são interligadas por sistema de comunicação sem fio, via rede GSM e 3G, permitindo que estejam conectadas com a Central de Controle Samba 24 horas por dia, a fim de monitorar em tempo real toda a operação do sistema, garantindo a melhor distribuição das bicicletas nas estações. Além disso, haverá atendimento aos usuários via celular e call center, sendo que para destravar as bikes, deverão realizar uma ligação do telefone celular ou interação pelo aplicativo para smartphones.

O projeto também contará com oficina de manutenção para montagem e recuperação dos equipamentos e veículos especiais para distribuição das bicicletas, que são desenvolvidas pela Samba Transportes Sustentáveis e tem fabricação 100% nacional. As bikes pesam em torno de 15 quilos, possuem quadro em alumínio com design diferenciado, três e seis marchas, selins com altura regulável, guidão emborrachado, acessórios de sinalização, sistema de identificação e trava eletrônica.

O projeto Bike Rio faz parte do objetivo estratégico da prefeitura de incentivar o uso da bicicleta como transporte alternativo e foi idealizado para que os usuários possam percorrer trajetos utilizando a bicicleta no percurso completo ou integrando com outros meios de transporte. Atualmente o Rio de Janeiro tem 150 quilômetros de ciclovia, mas a intenção da prefeitura é chegar a 300 quilômetros até o final de 2012.

Informações no site www.movesamba.com.br

Um comentário:

  1. Gostei dessa postagem. Parabéns.
    www.eversoncavalcante.blogspot.com

    ResponderExcluir